• Marcelo Teixeira

12 perguntas que mudarão sua vida



O nosso instinto é procurar respostas, mas a grande verdade é que as perguntas são as que mais nos ensinam.

Também pode ser que as perguntas retóricas ( aquelas que parecem não ter respostas ) , são as que mais nos empurram para o que é mais difícil.

Quem você pensa que é? O que tudo isso significa? Por quê? Por quê? Por quê?

A pergunta certa na hora certa pode mudar o curso de uma vida, um mente turbulenta ou curar um coração irado.

Embora cada situação possa gerar a sua própria, há doze perguntas que no meu ponto de vista merecem ser feitas não apenas uma vez, mas muitas vezes ao longo da vida.

Bom vamos lá… eu reuni aqui alguns dos filósofos mais sábios, pensadores mais incisivos, os maiores líderes e os mais impressionantes que já existiram.

Posso dizer que há valor em cada uma dessas perguntas se você deixar que elas as desafiem você.

Se você deixar, elas irão fazer o seu trabalho e o principal, mudar você.

Então comece agora perguntando:

1.Com quem você passa o tempo?

Goethe dizia: " Diga-me com quem você passa o seu tempo e eu lhe direi quem você é".

Aqueles nos conhece e o que nós fazemos, influencia mais do que qualquer outro fator sobre quem nos tornaremos.

Eu digo isso... porque o que você faz meu amigo(a), envolve pessoas e as pessoas que estão por perto, afetam o que você faz.

Pense nos seus amigos e colegas: eles os inspiram, os validam ou arrastam você?

Nós conseguimos compreender, o porque que um garoto que passa tempo com crianças, não quer ir a qualquer lugar e provavelmente não vai a lugar algum.

O que menos entendemos é que um adulto que passa tempo com outros adultos, que toleram trabalhos de baixa qualidade ou estilos de vida infelizes, passam a vida fazendo escolhas semelhantes.

O mesmo vale para o que você lê, o que você assiste, o que você pensa.

Sua vida se assemelha ao seu ambiente (Ben Hardy chama isso de efeito de proximidade ). Então escolha seu ambiente sabiamente.

2. Isso está no meu controle?

Epicteto diz que a principal tarefa do filósofo é fazer a distinção entre o que está em seu controle, o que não está, e o que depende de nós e o que não depende de nós.

Perdemos quantidades incríveis de tempo em um segundo e deixamos tantas oportunidades sobre a mesa ao rotular erroneamente a primeira.

Nossas ações, nossos pensamentos, nossos sentimentos, estes dependem de nós. Outras pessoas, o clima, eventos externos, estes não dependem.

Mas aqui é onde tudo se completa: nossas respostas a outras pessoas, nossas respostas ao clima, nossas respostas aos eventos externos, esses sim estão sob nosso controle.

Fazer essa distinção fará com que você seja mais feliz, tornará você mais forte e o tornará mais bem-sucedido, porque você irá se concentrar em seus recursos internos e assim irá utilizá-los nos lugares onde eles são importantes.

3. Como é seu dia ideal?

Se você não sabe como é o seu dia ideal, como você vai tomar decisões ou planos para garantir o que você quer realmente experimentar regularmente?

É importante fazer um inventário dos dias mais agradáveis e satisfatórios da sua vida.

O que você fez?

Por que você gostou deles?

Agora, certifique-se de que seu trabalho, sua vida pessoal e até mesmo o lugar que você escolheu para morar, se eles irão levar ou não em direção aonde você quer.

Se você não quer um escritório, não monte um escritório. Se você gosta de estar atarefado e é isso que faz você se sentir bem, então você provavelmente precisará de algo que tenha muitas responsabilidades e requisitos.

Se você gosta mais de influência do que de sucesso material, certifique-se de escolher algo que permita isso.

Se você é uma pessoa quieta, então você precisa de um estilo de vida que lhe permita ficar quieto e não aquele que o force a ser constantemente quem você não é.

Se você quer prosperar com atenção e colaboração, faça escolhas de acordo.

Se você quer morar no mesmo lugar por muito tempo, talvez compre uma casa . Se você não quer fazer, por favor, não faça. E assim por diante.

4. Ser ou fazer?

Um dos melhores estrategistas do século passado, John Boyd, perguntava aos jovens promissores acólitos: “Ser ou fazer? Qual caminho você irá?

Ou seja, você escolherá se apaixonar pela imagem de como o sucesso se parece ou focará em um propósito maior?

Você escolherá ficar obcecado com o título, com o número de fãs, com o tamanho do salário ou com a realização real e tangível?

Ele disse que na vida, existe uma chamada que classifica as pessoas pela sua resposta, e ela define quem são os executores e aqueles que simplesmente fingem.

Qual você será?

Qual você foi?

5. Se eu não sou para mim, quem é? Se eu sou apenas para mim, quem sou eu?

A tradução alternativa dessa última parte é “Se eu sou apenas para mim, o que eu sou?” A resposta é “o pior”.

A pergunta vem de Hillel, o Velho (também é a citação favorita do Reid Hoffman co-fundador e presidente executivo do linked-in ).

Isso não faz de você uma pessoa ruim para querer ser lembrada, para querer chegar ao topo, para provar para você e para sua família. Mas se isso é tudo que você quer, é um problema.

Pense em alguém como o general George Marshall, ganhador do Prêmio Nobel da Paz pelo Plano Marshall, que tinha os mesmos traços que todos nós possuímos, ego, interesse próprio, orgulho, dignidade, ambição , mas eram “temperados por um senso de humildade e altruísmo ”.

Quando recebeu praticamente o comando das tropas no Dia D, ele disse ao presidente Roosevelt:

“A decisão é sua, senhor presidente; meus desejos não têm nada a ver com o assunto. ”

Foi então que Eisenhower liderou a invasão e executou com excelência, a oportunidade de Marshall de mudar a história que veio logo depois o prêmio da paz para salvar a Europa como Secretária de Estado.

6. O que eu estou perdendo por escolher , por me preocupar ou por ter medo?

Como Gavin de Becker escreve em The Gift of Fear , ( O dom do medo) “Quando você se preocupar, pergunte a si mesmo: 'O que eu escolho não ver agora?'

Que coisas importantes que você está perdendo? porque você escolheu se preocupar com introspecção, atenção ou sabedoria? ”

Outra maneira de dizer é:

Será que ficar chateado oferece mais opções?

Os obstáculos na vida nos deixam "emocionados", mas a única maneira de sobrevivermos ou superá-los, é manter as emoções distraídas sob controle, se pudermos nos manter firmes não importa o que aconteça, não importa quantos eventos externos possam flutuar.

Os gregos tinham uma palavra para isso: apatheia .

Quando você se vê envolvido nessas emoções, uma maneira de se colocar de volta nos trilhos é simplesmente lembrar do custo que elas geram:

Uma delas é que você está perdendo algo por estar nervoso, com medo ou ansioso.

Em resumo, o que está tirando seus olhos da bola para fazer isso?

7. Estou fazendo meu trabalho?

O comando de três palavras de Bill Belichick, Nick Saban, Sean Payton e Jason Garrett: Faça o seu trabalho . A última coisa que o grande John Wooden diria a seus jogadores no vestiário antes do jogo era:

“Bem, eu fiz o meu trabalho”. Então a pergunta é: você está fazendo o seu?

Você sabe mesmo o que é esse trabalho?

É importante lembrar que podemos estar muito ocupados, ou exaustivamente ocupados e ainda não estarmos fazendo nosso trabalho.

Podemos ser apanhados nas coisas que não importam, podemos estar interferindo e invadindo o emprego de outra pessoa ou podemos estar simplesmente procrastinando.

Todas essas coisas nos mantêm trabalhando, mas não no trabalho que realmente importa.

8. Qual é a coisa mais importante?

Se você não sabe o que é o mais importante para você, como você sabe, se está colocando o que realmente é importante em primeiro lugar?

Como você sabe se está tomando as medidas certas para obtê-la?

Talvez a coisa mais importante para você seja a família.

Incrível, essa é a sua prioridade.

O que isso significa, é que você não precisa apenas começar a medir-se por métricas relacionadas à família, mas deve parar de se comparar com pessoas com prioridades diferentes.

Talvez o dinheiro seja o mais importante para você, ok ... então saiba disso e o possua, porém o problema é mentir para si mesmo.

Você tem que conhecer e possuir o que quer que seja.

Só então você pode entender o que importa e o que não importa.

Só assim é fácil ignorar pessoas “bem-sucedidas”, porque na maioria das vezes elas não são, pelo menos em relação a você, e muitas vezes até para si mesmas.

Só então você pode desenvolver a confiança quieta que Seneca chamou de eutimia - "a crença de que você está no caminho certo e não se desviou pelas milhares de trilhas que cruzam a sua e de pessoas que estão irremediavelmente perdidas".

9. Para quem é isso?

Se você está fazendo algo, vendendo alguma coisa, tentando alcançar pessoas, você tem que ser capaz de responder a essa pergunta .

É chocante quantos empresários, escritores, vendedores e até políticos nunca se incomodam em parar e se questionar : Quem é meu público?

Todo criativo deve parar e realmente pensar em quem é seu público.

O que essas pessoas querem?

O que eles precisam?

Que valor eu estou oferecendo a elas?

Não tente ter sorte. Não siga o seu palpite.

Acerte. Faça a pergunta, verifique se a resposta está clara.

10. Isso realmente importa?

A razão pela qual pessoas sábias nunca deixam o fato real escapar de sua mente, é porque isso as ajudam fazer a seguinte pergunta:

Considerando a escassez da vida , fazer isso que estou pensando, me preocupando , brigando, isso realmente importa?

Infelizmente, a resposta geralmente é não.

11. Isso vai ser tempo vivo ou tempo morto?

No início da minha carreira, tive uma conversa crucial com um grande amigo meu . Eu estava trabalhando em tempo integral em um bom trabalho, mas planejando meu próximo passo, economizando meu dinheiro e pensando no que poderia fazer em seguida.

Eu disse a ele que queria escrever e quem sabe um livro um dia, mas não sabia o que, como ou quando ou o quê. Ele me disse, Marcelo , existem dois tipos de tempo: o tempo morto, onde estamos apenas esperando e o tempo vivo , onde estamos aprendendo, ativos e alavancando.

E então ele deixou comigo para decidir qual escolheria. Tempo vivo ou tempo morto?

Então meu amigo(a) deixe essa pergunta te pegar da próxima vez que você se encontrar sentado em suas mãos ou na espera de algum milagre. Resista à tentação de se distrair com política tola ou desejo de viajar.

Aproveite ao máximo cada momento enquanto se prepara para o próximo passo ou para o próximo evento. Se você quer ser produtivo, esteja totalmente vivo.

12. É esse quem eu quero ser?

Nossa mente tem a habilidade de fazer a distinção entre o que fazemos e quem somos. O problema é que isso é um absurdo completo. Você não pode ser uma boa pessoa se suas ações forem consistentemente ruins. Você não pode ser uma pessoa trabalhadora, se você tomar todos os atalhos que você pode.

Não importa que diga que ama alguém, só importa se você demonstrar que o ama. Lembre-se da frase de Cheryl Strayed : "Nos seus vinte anos você estará no processo de se tornar quem você é, então você não pode ser um idiota".

Isso é a pura verdade para a própria vida.

Você é o que você faz, então pergunte a si mesmo sempre que estiver fazendo algo: isso é reflexo da pessoa que eu quero ser? Que eu me vejo para ser?

Como fazemos tudo é como fazemos tudo.

É quem somos.

Então, faça esta pergunta sobre cada ação, pensamento e palavra.

Porque isso se soma de uma maneira que nenhuma quantidade de auto-imagem ou crença jamais fará.

Ultima questão, é do grande Viktor Frankl, o psicoterapeuta que sobreviveu ao Auschwitz e escreveu muitos livros lindos . Ele tentou da melhor maneira que pôde, resolver aquela questão eterna com que todo filósofo e jovem faminto lutou:

Qual é o significado da vida?

Frankl também lutou com essa questão, certamente nos horrores de um campo de concentração e a perda de toda a existência farão isso com você.

Mas ele descobriu que a resposta era simples, embora houvesse um problema em como a questão era colocada.

Ele disse....Você vê....não somos, nós que conseguimos exigir do mundo: “Qual é o sentido da vida?”

O sentido da vida são respostas das perguntas com as ações e decisões que tomamos.

O que criamos são os significado de nossas escolhas e de nossas crenças.

Porém, eu acho que criamos isso para nos desafiarmos com as perguntas do tipo:

Para o que eu sou ?

Qual é o meu trabalho?

Quem eu quero ser?

O que é para mim?

Como é um bom dia?

Algumas respostas são mais simples do que outras, mas com certeza as respostas raramente são, pois o ato de perguntar é e sempre será o mais importante.

Antes de você ir

Não se conforme com menos. Não permita que o medo de perder o que possui se torne maior que o seu desejo de ganhar. Independentemente de qualquer obstáculo que você possa enfrentar, você pode realizar seus objetivos.


Não se conforme com menos. Não permita que o medo de perder o que possui se torne maior que o seu desejo de ganhar. Independentemente de qualquer obstáculo que você possa enfrentar, você pode realizar seus objetivos.

Para começar a viver a sua vida no próximo nível, agende sua sessão de mentoria e coaching de resultados


10 visualizações

copyright (c) 2019 . todos os direitos reservados.