• Marcelo Teixeira

14 Milhões de Desempregados. Já passou da hora de você assumir o controle da sua carreira.

Atualizado: Nov 2

Aceitando você ou não, toda empresa se preocupa apenas com suas receitas, lucros e seus acionistas. Os CEOs e os altos escalões se concentram todo momento em seus próprios interesses financeiros. 


É difícil culpá-los, pois é assim que o jogo é jogado. 


Ultimamente, parece que o abismo entre os super-ricos e a classe média é a maior que vimos desde das épocas dos barões. A realidade é que apenas 1% do topo está prosperando durante a pandemia, enquanto o restante de nós está tentando desesperadamente sobreviver e ganhar uma vida miserável. Mais do que nunca, somente pequenos grupo de CEOs e executivos poderosos tomou a maior parte do dinheiro de sua empresa, mantendo assim seus salários altíssimos e bônus. 


A pandemia Covid-19 parece ter aumentado o abismo entre o trabalhador médio e o escalão superior. Isso marca o início do fim da lealdade corporativa. É óbvio que fomos forçados a uma nova era de agências gratuitas. As empresas claramente não se preocupam com os trabalhadores e agora os trabalhadores precisam se preocupar com eles próprios. 


Aqui está um ótimo exemplo que exemplifica o comportamento insensível e indiferente dos executivos corporativos em relação aos funcionários. No final de abril , a Covid-19

atingiu no Brasil um aumento de 22,7% de pedido de seguro de desemprego.


Estamos falando em 14 milhões de desempregados.


Uma coisa é fato, nós já superamos fortemente por exemplos Estados Unido.Um recorde de 3,28 milhões de pessoas que entraram com pedido de seguro-desemprego.


Devido à drástica crise de saúde, economia e perda de empregos, muitos CEOs prometeram que não demitiriam seus funcionários. Seis meses depois, várias dessas empresas tomaram outras diretrizes.


Aqui estão apenas algumas das grandes corporações que mudaram de ideia sobre sua promessa de manter os trabalhadores.

  • Renault - 15 mil trabalhadores.

  • Boing - 6.770 mil trabalhadores.

  • Uber - 3.700 mil trabalhadores.

  • Cirque du solei - 4.000 mil trabalhadores

  • Airbnb - 1.900 mil Trabalhadores.

  • Stone - 1.300 mil Trabalhadores.

Algumas das empresas se concentraram em um compromisso de 90 dias; embora, o espírito da intenção fosse para o ano. Para ser justo, no ataque do surto, não era concebível que a pandemia ainda estivesse ocorrendo sete meses depois, nem eles previram os danos causados à economia. 


Desde então, empresas em todos os setores da indústria executaram demissões em massa. Por exemplo, a Disney recentemente demitiu cerca de 28.000 trabalhadores e as companhias aéreas planejam demitir por exemplo nos EUA cerca de 35.000 isso se o governo (contribuintes dos EUA) não der a eles outros $ 25 bilhões após o resgate inicial de $ 25 bilhões.


Sem qualquer empatia, as empresas cortam impiedosamente os gerentes de nível médio para economizar dinheiro e assim contratar trabalhadores mais jovens e mais baratos. Para arrancar ainda mais dinheiro, eles realocaram empregos de grandes cidades, para estados de custo mais baixo para pagar às pessoas, uma fração do que seus antecessores ganhavam. 


Quando as empresas enfrentam problemas e pedem falência, demitem milhares de trabalhadores sem qualquer hesitação, enquanto muitos dos maus executivos e CEOs continuam receber seus grande salários.


Grandes somas de dinheiro foram alocadas para tecnologia, robótica e inteligência artificial. O objetivo disso meu amigo, é eventualmente substituir muitos trabalhadores humanos da vida real por uma tecnologia sofisticada. 


Os robôs não fazem pausas para café, férias, almoçam, fofocam ou discutem sobre esportes e política. 

Eles não exigem seguro saúde, transporte, nem respondem ou ligam dizendo que estão doentes. 


As previsões de que IA irá assumir empregos são tão grandes que por exemplo o ex-candidato democrata à presidência, Andrew Yang, pediu que a Renda Básica Universal seja paga aos americanos. Olha que o Brasil não esta atrás, como o seguro emergencial em alguns estados.


No caso da tese de Yang é que, quando a tecnologia assumir o controle , milhões de americanos por exemplo não terão as habilidades pare ter um emprego decente.

Se você acha que no Brasil será diferente você está enganado, basta você se deparar com caixas de autoatendimento em supermercados ou no próprio MCdonalds por exemplo.


A única resposta deles é que o governo forneça uma renda vital para ajudá-los a sobreviver. Sua terrível previsão é que a tecnologia comerá o almoço de todos e ninguém estará seguro.


Eu gostaria que fosse diferente, mas parece que as condições vão piorar. Com milhões de brasileiros desempregados, as empresas podem ditar os termos agressivamente. 


Elas pensariam: “Por que não deveríamos diminuir os salários e aumentar as demandas dos funcionários? Para onde mais eles iriam? Com menos oportunidades disponíveis, as pessoas não terão escolha a não ser aceitar o que puderem. ”


À medida que a crise de perda de empregos continua a crescer e milhões de pessoas procuram trabalho, a administração corporativa se sentirá à vontade para despachar funcionários sumariamente à vontade. 


Os gerentes perceberão que não precisam lidar com um trabalhador difícil, pois haverá uma fila de pessoas se formando para ocupar o lugar da pessoa - se for demitida. Não haverá necessidade de oferecer maiores salários e melhores benefícios, pois haverá outra pessoa que aceitaria com prazer o trabalho para colocar comida na mesa e um teto sobre a cabeça de sua família.


Antes você podia se formar no ensino médio, encontrar um emprego decente, pagar uma boa casa, ter dois carros e criar seus filhos em um bairro "tranquilo". Você trabalharia na mesma empresa durante a maior parte de sua vida adulta e receberia uma pensão ao se aposentar. 


Se seus filhos quisessem ir para a faculdade, era acessível e barato - pelos padrões de hoje. Se você não desejava o caminho do ensino superior, era considerado perfeitamente respeitável, como seguir um comércio ou se tornar um operário em vez de ir para a faculdade. 


A realidade é que essa nova economia pós-Covid pode ser dura, fria e implacável. Para lutar contra isso, você precisa se ver como um agente livre. Você pode fazer seu próprio destino e não deve depender apenas de seu empregador.  


A chave é se tornar uma pessoa estratégica, analítica, resiliente e mais autossuficiente. 

Você terá que ser muito mais mental e emocionalmente resistente para lidar com todos os novos desafios. Você terá que aprender constantemente, se reinventar, mudar de direção, adquirir novos empregos, iniciar atividades paralelas e encontrar novas maneiras de criar valor. 


Pode parecer assustador no início, mas há o doce sabor da liberdade quando você aceita que pode controlar seu próprio destino e não precisa depender dos caprichos de uma empresa grande, sem rosto e indiferente.   


O resultado final é que, devido a essas tendências emergentes assustadoras, você precisa cuidar de si mesmo. Mesmo se você tiver um emprego remunerado, é fundamental manter os olhos abertos para novas oportunidades. Prepare um plano B, C e D. Comece a rede agora e não espere pela temida chamada dos recursos humanos pedindo uma reunião rápida. 


Atualize seu perfil e currículo no LinkedIn. 


Aprenda novas habilidades e tecnologias necessárias para nossa economia em constante mudança. 


Encontre maneiras secundárias de obter um fluxo de renda, para que você não fique totalmente dependente de um salário. 


Torne-se ativo nas redes sociais, entre em contato com recrutadores, pesquise novos tipos de carreiras em potencial, participe de eventos on-line e faça o que for necessário para manter o seu trabalho por enquanto.


Junte-se à minha lista de e-mail com mais de 40 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Garanta sua certificação fundamentada no rigor excelência da International Society for Emotional Intelligence na Imersão QEi9, o mais completo programa de Inteligência Emocional que já impactou mais de 9.000 alunos.


Evento Presencial São Paulo - Dias 21 e 22 de Novembro - Clique aqui

Imersão Online ( 1 ano de acesso ) - Clique aqui


8 visualizações

copyright (c) 2019 . todos os direitos reservados.